quinta-feira, 10 de fevereiro de 2005

Ansiedade

Já tinha idade suficiente para saber que, em certos assuntos da vida, a ansiedade decorrente da vontade de obter respostas rápidas não ajuda em nada, causando apenas desgaste pessoal. A resolução de algumas questões requer tempo e raramente acontece no tempo útil em que gostaríamos. O tempo passa e a nossa vida vai ficando suspensa, à espera da atenção, da simpatia, da colaboração de alguém, mas muitas vezes nem percebemos bem de quem porque todos com quem falamos vão dizendo gentilmente que não depende de si, mas de um outro qualquer. E assim ficamos a ver o tempo passar, pedindo, quase suplicando, que alguém se digne a olhar para o nosso processo, de forma que possa seguir em frente para uma nova fase. Mas como não avança, ou vai avançando devagar devagarinho, bem ao ritmo "leve-leve só", a ansiedade tem tempo e espaço para crescer dentro de nós, provocando angústias imparáveis, desconfortáveis, alucinantes, desesperantes. Mas isso, nesta altura, supostamente já não interessa nada. Há que aguardar e saber fazê-lo, com adequadas estratégias de distração. O mais difícil mesmo é saber quais são as mais adequadas...

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...