sexta-feira, 28 de janeiro de 2005

Visão ou criação

Hoje estou numa excitação sem fim. Vi o Raio Verde!!! Nem posso acreditar... mas tenho a certeza que o vi, não foi invenção. Vou tentar explicar o que aconteceu. Por volta das 17h45 a praia de Carcavelos estava calma como há muito não a via. O mar chão, o céu alto e límpido, só ao longe, muito ao longe no horizonte, umas nuvens, 3 ou 4, bem desenhadas, brancas, perto do sol, que iniciava a sua caminhada em direcção ao ocaso. À medida que baixava, ia deixando uma faixa de tonalidade estranha, laranja, forte e intensa, dando à paisagem uma coloração diferente da habitual, e transmitindo a quem por ali passeava uma sensação de paz.
Fixei-me no sol, redondo, grande, cor de laranja, a desaparecer muito mais rapidamente do que eu desejava, porque, como ando em fase de introspecção prolongada, aquele local e aquela imagem ajudavam a reflectir e a ficar com as ideias mais claras. Mas, de repente, baixou, deixando aparecer um rasto verde, horizontal, intenso e contrastante com as restantes cores e que, nuns breves segundos, se foi misturando com as outras cores, esbatendo-se.
Eu vi!!!! Nem podia em mim de tamanha surpresa. Afinal, enquanto estive em STP na minha mais longa estadia, ouvi infinitas vezes um amigo referir o fenómeno e nunca acreditei muito na conversa, apesar de me saber bem ouvir aquelas palavras em tom de brincadeira. O resultado da história sobre o Raio Verde não foi brilhante... mas isso agora também não é importante. A verdade é que pesquisei tanto que acabei a escrever um artigo que foi publicado na "revista piá" nº 18 de Maio de 2004. Mas o que conta mesmo é que o vi hoje!!! O que, segundo os entendidos, auspicia sorte e felicidade. Os meus segredos não os revelei, porque cada vez menos os revelo, mas tenho de admitir que me lembrei deles, um por um. Só tive pena de não ter a máquina comigo, senão teria registado o momento.

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...