sexta-feira, 22 de outubro de 2004

Muito

- Eu gosto MUITO de viver, afirmou ela com certezas.
- Eu gosto de viver MUITO, e morrer CEDO, e levar muita gente comigo para a MORTE, sobretudo se for através do SEXO, respondeu-lhe ele em tom enigmático, meio a sorrir
- Pois... foi o que pensei, atacou ela irritada com a conversa, pelo tom, pelo conteúdo e principalmente pela desconfiança agravada.

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...