sexta-feira, 10 de setembro de 2004

Sonho

Quando estava triste, gostava de pensar nele porque tinha a reconfortante, mas falsa, sensação de estar acompanhada. Parecia-lhe que ele ainda ali estava, fechava os olhos e via-o a sorrir. O pior era quando abria os olhos e voltava à realidade. Ele não estava ali e, no fundo, ela não queria que ele estivesse. Tudo era ilusório e irreal, portanto para quê manter essa sensação? Antes assim, era melhor que se fosse de vez...

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...