segunda-feira, 20 de setembro de 2004

Os sentidos

- A que cheira o amor e a paixão? - perguntou-lhe um dia
- A ylang-ylang acabado de colher, quando tem a flor ainda viçosa e aberta - respondeu-lhe ele cheio de certezas
- E a que sabe? - teimava ela em perguntar-lhe para auscultar a misteriosa sensibilidade masculina, acerca da qual ela tanto duvidava
- A uma mistura indecifrável, meia picante meia doce, mas com um paladar inconfundível a hortelã
- E qual é a sensação? - continuava com a sessão imparável de perguntas, pela qual ele lhe chamava a "menina dos porquês"
- De uma terna envolvência. Não queres experimentar? - respondia-lhe ele a sorrir, com outra pergunta, sabendo que a provocava com sensações esquecidas e apetecíveis
- Porque me respondes com uma pergunta? - indignava-se ela sem lhe responder...

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...